Siga-nos no Twitter! Curta nossa fan page no Facebook!




No domingo, 03/07, foi realizada a comemoração do 1° aniversário do título da Copa do Brasil, no espaço Ativismo ABC. Foi o primeiro evento do gênero, organizado pelos próprios torcedores ramalhinos, e por isso valeu principalmente como aprendizado. Se o público presente não foi grande, foi bastante representativo: lá estavam os presidentes da Tuda (Ovídio) e da Fúria (Renato), o Esquerdinha e vários ramalhonautas: Elias, Anderson Fattori, Luís Henrique, Marcinho, Fanny, Carlos Silva e sua esposa, entre outros. Além do Mau, organizador do evento.

Foi uma tarde agradável, apreciando uma exposição das fotos da caravana ao Rio de Janeiro e de ingressos de partidas do Ramalhão desde 1991, e todos divertiram-se revendo os vídeos de várias reportagens da imprensa sobre o título e a festa do Ramalhão em pleno Maracanã (lembram-se do desespero do Galvão Bueno ao anunciar os gols do Ramalhão, e do torcedor vestido de santo, anunciando o "milagre"?).

Para melhorar ainda mais o clima, lá pelas 4 e meia chegou o treinador Sérgio Soares, e muito foi conversado sobre a heróica campanha ramalhina na Copa do Brasil. Pouco depois, chegou o matador Sandro Gaúcho, com a esposa e filha. Ficaram até as 18 horas, pois ambos teriam compromissos à noite. Que falta não fez uma filmadora ou um gravador... Mas com certeza teremos outras oportunidades.

Um resumo do bate-papo com o Sérgio e o Sandro:

"O time começou a sentir que poderia ser campeão na vitória contra o Atlético, no Brunão. Foi uma das melhores partidas do Ramalhão na temporada. Contra o Guarani, quase não tivemos time para colocar em campo, e jogamos conforme as condições nos permitiram. Mas a partida mais memorável foi, sem dúvida, o empate com o Palmeiras no Parque Antártica. Foi lá que tivemos a certeza de que estaríamos na final."

"- O primeiro jogo contra o 15 de Novembro gaúcho, no Pacaembu, foi complicado, porque nosso elenco estava esgotado. Havíamos acabado de chegar de uma viagem extenuante a Belém do Pará, onde enfrentamos o Remo pela Série B, e o time não estava nas condições ideais de jogo. Ainda fomos prejudicados pela mudança do local do jogo em cima da hora. Mas, na partida de volta no Olímpico, já estávamos descansados e fizemos valer nosso futebol. Vencemos por 3 x 1, com um golaço do Sandro e uma grande partida do Makanaki, e nos classificamos para a decisão. "

"- Na final, tudo aconteceu exatamente como queríamos. Estávamos torcendo para que nosso adversário fosse o Flamengo, pois sabíamos que o time deles "morria" no segundo tempo, e que jogássemos a primeira partida em casa. (Por pouco o Elias não estragou este item: ele quis acompanhar o "sorteio" dos mandos de jogo na CBF, mas, felizmente, foi impedido...) Até o resultado do primeiro jogo, 2 x 2, foi o ideal para nós, pois eles já se julgaram campeões, e, se tivéssemos vencido, o Flamengo viria com tudo para cima no jogo de volta. Tudo o que tivemos que fazer foi segurar o zero a zero no primeiro tempo no Maracanã; no segundo tempo eles cansaram, como já esperávamos, aí partimos para cima, fizemos 2 x 0 e eles não tiveram mais forças para reagir."

"- Na Libertadores, a única coisa que podemos dizer é que o melhor time da chave acabou desclassificado. Com certeza o Ramalhão era melhor que o Cerro e o Palmeiras. Infelizmente, o que nos complicou foi termos perdido na estréia para o Táchira. O nervosismo da estréia internacional acabou nos prejudicando, pois jogamos com cautela excessiva. " "- Na campanha atual na Série B, só pedimos um pouco de paciência. Perdemos alguns jogadores, que estão sendo repostos, e os recém-chegados ainda não estão com o entrosamento ideal. Já estamos montando o time pensando nos quadrangulares. Com certeza chegaremos lá com o time entrosado e com padrão de jogo, e aí tudo ficará mais fácil. Podem confiar que o time vai subir de produção. O elenco ainda está reduzido, mas alguns reforços ainda deverão chegar, e o Denni já foi reintegrado ao grupo."

"- Hoje o Ramalhão pode contar com muitos garotos com talento para jogar no time de cima. O Diego Padilha é titular e o André Luiz vem jogando muito. E logo teremos o Everton, o Galiardo e outros muito promissores. Mas é preciso lançá-los com cuidado e critério, para não "queimar" uma futura promessa. A torcida tem um carinho especial pelos jogadores que se projetam no Santo André, e torce por eles mesmo depois que deixam o time" (mas não perdoamos o Richarlyson).

"- Sobre o Richarlyson, não sabemos de detalhes do processo, mas o que podemos dizer é que ele como pessoa é um excelente companheiro, e está buscando o que julga ser o seu direito. Esperamos que haja um acordo para que ele possa seguir sua carreira. "

Ao final, ficou a certeza de que esses eventos poderão tornar-se mais freqüentes e ajudar a congregar a torcida e registrar a história do Ramalhão, como defende o Manifesto Ramalhonauta. O próximo evento deverá ser em dezembro próximo, comemorando os 30 anos do primeiro título do Ramalhão, e esperamos poder fazer algo com maior destaque.

   

 



 

Ramalhonautas - Balançando a Rede! O Site do Torcedor Ramalhino
®2004/2016 - Todos os Direitos Reservados