Siga-nos no Twitter! Curta nossa fan page no Facebook!

28/01/2018 - 23:00:00
Homenagem dos Ramalhonautas a Sergio Soares


Marcelo Alves Bellotti
Ramalhonautas


Seu nome no futebol é Sergio Soares. O nome de nascimento é Sérgio Soares da Silva, paulista e paulistano, nasceu em 11 de janeiro de 1967, tem 51 anos e uma carreira de muito respeito no futebol brasileiro e especialmente no Ramalhão.

Sergio Soares como jogador profissional defendeu vários clubes, em especial o Juventus e o Palmeiras. Chegou para a primeira passagem no Santo André em 2001, em um time que ao final da temporada conseguiu o acesso tão sonhado para a elite do futebol paulista.

Depois de disputar o Paulistão pelo Ramalhão foi negociado e somente voltou em 2003, permanecendo na equipe até o meio da disputa da Copa do Brasil quando decidiu encerrar a carreira.

No total foram 40 jogos como jogador do Ramalhão com três Campeonatos Paulistas com um acesso em 2001, uma Copa Paulista, quando foi campeão em 2003, um campeonato Brasileiro e a consagração na Copa do Brasil de 2004, quando foi campeão atuando em três jogos.

A última vez que entrou em campo  em um jogo como profissional foi contra o Guarani em Campinas dia 14/04/2004, um empate pelo placar de 1 a 1 pela terceira fase da Copa do Brasil. Aposentou-se na carreira de jogador pelo E.C. Santo André em 2004. No mesmo ano assumiu o cargo de supervisor técnico do técnico Péricles Chamusca. Péricles foi suspenso por ofensas ao Árbitro na partida Palmeiras 4X4 Santo André pela Copa do Brasil 2004 e Sérgio Soares comandou o time na segunda partida da semifinal, em Porto Alegre contra o 15 de Novembro-RS e nas finais contra o Flamengo. Após o título, Péricles Chamusca foi para o São Caetano e Sérgio Soares foi efetivado como treinador.

A escolha por Sergio Soares para comandar o time no Campeonato Brasileiro foi pela identificação com o clube e pela sua capacidade de liderança e sobre o grupo. Era uma aposta que se mostrou muito boa, já que o Ramalhão perdeu 12 pontos por escalação irregular, caiam para a série C seis equipes e o Ramalhão sequer correu risco.

Em 2005 ele não foi o escolhido para o início da temporada, porém em uma sequência de resutados ruins de Luiz Carlos Ferreira, Sérgio Soares assume o time no jogo contra o Palmeiras (empate em 1 a 1), seguindo com o time pelo restante do ano de 2005.

Retorna ao clube em maio de 2007, para tentar recolocar o time em um caminho de vitórias, mas os resultados não o ajudam e fica somente até outubro. Retorna ao clube para disputar as finais da série A2 de 2008 e o Brasileirão, sendo campeão paulista e vice campeão brasileiro, conquistando o acesso a série A do Brasileirão.

Novamente não começa o ano na direção do time, retornando no meio do segundo turno do Brasileirão, com o time seriamente ameaçado pelo rebaixamento. Sérgio Soares não evitou o rebaixamento, mas preparou um time inesquecível que encantou o torcedor Ramalhino com o vice campeonato Paulista de 2010. Dirigiu o time até setembro de 2010 .

Retornou ao Ramalhão em março de 2017, conseguiu recuperar o time no Paulistão de 2017 e se sagrou vice campeão do Interior nesse ano. NO total temos sete passagens pelo time, até o jogo contra o Ituano contabilizava 198 partidas.

Com o início do Paulistão de 2018, quando treinou o time na partida contra o Red Bull, Sergio Soares completou 200 partidas pelo Ramalhão. Nesse período tem 84 vitórias, 51 empates e 63 derrotas. Sob seu comando o time marcou 320 gols e levou 254.

Sérgio Soares marcou definitivamente o seu nome como um dos maiores técnicos da história do Ramalhão, uma trajetória marcada por títulos e pelo bom futebol que suas equipes praticam.



Parabéns, Sergio Soares... pela carreira, pela dedicação nesses 200 jogos... e que venham outros!








 

Ramalhonautas - Balançando a Rede! O Site do Torcedor Ramalhino
®2004/2016 - Todos os Direitos Reservados